Buscar

Oito Mulheres que Revolucionaram o mundo da música.

Atualizado: 15 de Jun de 2020



Hoje, 8 de março, comemora-se o dia internacional da mulher, uma data não apenas para celebrar os direitos já conquistados pelas mulheres, mas também para incentivar a luta pela igualdade de direitos! Embora já tenha havido muito progresso, ainda há muito que ser conquistado para se acabar com a desigualdade de direitos entre homens e mulheres.

Inúmeras mulheres fizeram e fazem história diariamente, ao quebrar convenções e ocupar espaços até então dominados pelo universo masculino, lutando por seus direitos pessoais e coletivos.

Hoje celebramos esse dia com uma seleção de oito mulheres que revolucionaram o mundo da música em suas épocas. Elas romperam paradigmas e abriram caminhos para que novas mulheres escrevessem as suas próprias histórias no cenário musical.


1)Chiquinha Gonzaga (1847-1935)


Chiquinha Gonzaga, a compositorainstrumentista e maestrina brasileira, é considerada um ícone da  música brasileira. 

Desafiou o machismo que reinava em sua época e foi uma grande pioneira! Foi a primeira pianista de choro, autora da primeira marcha carnavalesca com letra ("Ó Abre Alas", 1899) e também a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil.






2) Carmem Miranda (1909-1955)

A cantora e atriz, de nacionalidade portuguesa, mas radicada no Brasil desde os dez meses de idade, foi uma das responsáveis pela divulgação do samba no mundo e conquistou a América entre 1930 e 1950.

Até atingir o posto de artista brasileira com maior projeção internacional da história, Carmem Miranda trilhou um árduo caminho. Começou a trabalhar muito jovem para conquistar sua autonomia, tendo costurado e criado suas próprias roupas, e alcançou o sucesso internacional, chegando a ser a mulher mais bem paga do show business norte-americano.



3) Amália Rodrigues (1920-1999)

Amália Rodrigues, a fadista portuguesa considerada por muitos a grande embaixadora de Portugal, começou a cantar o fado em uma época que o ritmo era associado a ambientes boémios, onde apenas mulheres “ de má reputação” frequentavam.

Quebrou preconceitos e com sua voz poderosa e expressiva levou o fado para o mundo, tornando-se sua grande divulgadora além-fronteiras! Muitos acreditam que Amália deu o primeiro passo para que o Fado se tornasse Património Imaterial da Humanidade.



4) Nina Simone (1933-2003)

A história de Nina Simone é para inspirar qualquer um, sejam homens ou mulheres. Pianista, cantora e compositora, Nina foi a primeira mulher negra a fazer sucesso como pianista clássica nos Estados Unidos na década de 60.

Dona de uma voz sublime, além de ter se tornado uma das cantoras mais importantes da história do jazz, foi ainda uma grande ativista na luta pelos direitos civis dos negros.




5) Janis Joplin (1943-1970)

Janis Joplin, a cantora, compositora e multi-instrumentista, é considerada a primeira mulher a fazer sucesso no rock na década de 60, quando o cenário musical era dominado pelos homens. 

Janis integrou o movimento hippie e com sua impressionante voz, potente e suave ao mesmo tempo, marcou sua época. Mesmo com uma curta trajetória pessoal e profissional, Janis viveu intensamente e deixou um poderoso legado musical.




6) Joan Jett (1958)